sábado, 21 de janeiro de 2012

A LUZ.



Os nossos olhos se adaptam a luz, as nossas pupilas dilatam ou contraem-se de acordo com a luminosidade. E essa adaptação é tão sutil, que é comum não percebemos que estamos num ambiente escuro, até que um feixe de luz entra por algum pequeno espaço. Ou a luz invade tudo, de uma só vez, a visão fica ofuscada por alguns instantes, a luz incomoda, quase fere os olhos, mas, novamente eles se adaptam.


E então, aos poucos percebemos neste mesmo ambiente, detalhes antes ocultados; as cores ganham mais vida, pequenos objetos ficam mais evidentes e as sombras se projetam dos corpos.


Nós nos adaptamos á escuridão do mundo, vemos em parte certos que estamos vendo tudo e com nitidez.
Até que a luz chega.
Não importa se for por um pequeno espaço em nossos corações, nos atraindo e despertando devagar o desejo por mais luz.
Ou se invadir a nossa alma, confrontando e expulsando toda escuridão.


O certo é que esta luz revela a verdade.
A luz revela as sombras, refletidas pela nossa carne.
Mas quanto mais próximos estamos da luz, menos a sombra fica evidente e quando estamos bem embaixo dela, a sombra praticamente se desfaz. Como o domínio do pecado sobre nosso corpo cada vez mais derrotado pela nossa proximidade com Jesus.


Cores, como alegrias que antes não podíamos deslumbrar, os detalhes que antes passavam despercebidos e que agora enxergamos são a graça e o cuidado de Deus conosco nas pequenas coisas, e em todas as coisas.
Podemos enfim enxergar o caminho e andar sem tropeçar.


A luz é permanente é invariável, imutável.
Se por alguns instantes o caminho começa a ficar novamente cinza, confuso, a sombra evidente demais, a alegria sumindo aos poucos, certamente não foi a luz que se apagou ou perdeu o brilho, nós é que caminhamos para longe dela e nossos olhos se acostumam, é preciso atenção.


Então é só olhar novamente para ela, começar a caminhar em sua direção, que tudo vai dando lugar à luz, cada vez mais, de uma vez por todas, ela é irresistível e irradia tudo que toca.


Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida. (Jo 8.12).


Kelly Rodrigues dos Santos Queiroz.

2 comentários:

  1. Amém!!! Como sempre falou tudo neguita...Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. linda postagem.
    Parabéns e um lindo final de semana

    ResponderExcluir