sábado, 8 de outubro de 2011

Fé não fingida...






I Timóteio 1:5 “Mas o fim desta admoestação é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência, e de uma fé não fingida;”




Uma fé não fingida...


Parei nessa frase, ela me intrigou. É sobre isso o papo santo da vez.


Encontramos aqui o termo grego anipócritou, "sem hipocrisia".


Uma fé sem hipocrisia, fé esta que Paulo encontrava em Timóteo e em sua família e o instruía a ensiná-la para a igreja.


Hipócrita, é aquele que finge ser quem não é e que usa uma máscara para representar o personagem de santo, curado, fiel, liberto, de crente perfeito.


Um grande sinônimo de hipocrisia são os fariseus, as palavras fortes de Jesus "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas" ecoam por todos os evangelhos.


Quem eram os fariseus?


Eles eram líderes de um movimento para trazer o povo de volta a uma submissão estrita à palavra de Deus e eram considerados como os servos mais espirituais e devotos de Deus. Os fariseus seguiam não somente a lei escrita de Deus, mas também as tradições orais que lhes tinham sido passadas, inclusive passaram a priorizá-la. Jesus condenou os fariseus pelo interesse deles em impressionar os outros, eles tinham aperfeiçoado diversas técnicas de chamar atenção, como usar roupas especiais para fazê-los parecer mais religiosos, orar e jejuar de modos muito visíveis.


Os fariseus eram falsos, e superficiais. Eles limpavam minuciosamente o exterior (a parte que as pessoas podiam ver), mas negligenciavam a justiça interior. Endureceram o coração, escondiam os próprios pecados. O que causava a cegueira deles? Eram preconceituosos, seu orgulho impedia-os de se humilharem o suficiente para permitirem que o Senhor abrisse seus olhos, então voltavam-se facilmente como acusadores dos pecados alheios.


Esse era o exemplo que Jesus deu de uma fé fingida. A vida de aparências dos fariseus. Paulo um dos meus apóstolos preferidos, não tinha essa preocupação, ele entendia na prática o que Jesus disse; “Não são de homens de boa saúde que necessitam de médico, mas sim os enfermos. Não vim chamar à conversão os justos, mas sim os pecadores.” (Lc 5,31-32). Mesmo sendo um grande líder e pregador, evidenciava sempre que era um homem comum, que também tinha suas fraquezas e lutas pessoais contra o pecado. Sim, mesmo depois de convertido, não era perfeito, ninguém é.


Romanos 7.18 Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo. Pois faço não o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo. Assim, encontro essa lei que atua em mim: Quando quero fazer o bem, o mal está junto a mim.
Romanos 7:24. “Miserável homem que eu SOU! Que me livrará do corpo desta morte?”


Filipenses 3:11-12 Para ver se de algum modo posso chegar à ressurreição dentre os mortos. Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas vou prosseguindo, para ver se poderei alcançar aquilo para o que fui também alcançado por Cristo Jesus.
1Coríntios 9.27 Esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de ter pregado aos outros, eu mesmo não venha a ser reprovado.
1Tm 1.15 Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu SOU o principal;
Tenho que discordar de Paulo, quando escreveu este último eu ainda não tinha nascido, senão provavelmente escreveria meu nome. Todos deveriam pensar a mesma coisa, mas hoje, como nos dias de Jesus, temos também a tendência de mantermos as aparências, e corremos o risco de vivermos uma fé fingida.


A igreja deveria ser um lugar sem julgamentos, deveria ser um lugar onde todos os pecadores são bem vindos, e onde todos encontrassem apoio, perdão e amor para que o caráter de todos pudesse ser moldado. Vivendo o princípio de Filipenses 2:3. “Nada façais por contenda ou por vangloria, mas por humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo.”. Se assim fosse, os pecados poderiam ser livremente confessados e haveria cura contínua. Ainda sonho com esta igreja, não podemos desistir dela...


Mas em meio a uma igreja de supercrentes, nem eu nem ninguém pode revelar fraquezas e pecados, o que pensariam de mim? O que diriam de mim? Por isso o uso de máscaras é tão freqüente.






Um princípio básico para a Graça continuar operando em nós, é não tentarmos esconder de nós, ou de Deus (como seria possível?) quem somos e onde ainda precisamos de tratamento. Para prosseguir, é necessário continuar o processo com Deus, prosseguindo para o alvo. Uma fé não fingida consiste em saber que Deus não tem filhos preferidos, que não somos uma surpresa ruim para Deus, confiando na obra da cruz para terminar o processo, eu paro de me esconder de Deus e deixo-o continuar operando em mim...






I João 1: 8 a 10 e 2:1 Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.






Vivamos então uma fé pura, verdadeira diante de Jesus.


Nele, com quem não precisamos de máscaras, no qual até o pior dos pecadores encontra abrigo, esperança e transformação.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Amigo Eterno...

Glenda Barros






A intimidade do Senhor é para os que o temem, e Ele lhes mostrará a sua aliança. Salmos 25: 14


Estabelecer uma relação de intimidade não é fácil, exige tempo e muita disposição. Davi nos dá uma dica valiosa, que se guardarmos e obedecermos, nossa relação com Deus se estreitará.


Davi diz que a intimidade com Deus é para os que o temem, e quando ouvimos o verbo temer, automaticamente associamos a palavra medo. Temer ao Senhor vai muito além de ter medo dEle; temer ao Senhor significa reverenciá-lo, significa guardar (obedecer) seus mandamentos e se sujeitar a boa, perfeita e agradável vontade dEle. E a intimidade requer tanto temor a Deus, quanto confiança nele. Não há intimidade quando não há cumplicidade e confiança, para dar acesso irrestrito a Deus a tudo que pensamos, a tudo que somos.


Quando não temos intimidade com alguém não permitimos um contato mais próximo, nem, tão pouco recebemos conselhos e alertas que direcionem nossas atitudes, afinal, ela não tem intimidade conosco, não é mesmo?


Se não buscamos intimidade com Deus, não permitimos que Ele direcione nossos caminhos, assim, nos desviamos do propósito e caímos no laço do diabo. Uma relação de Intimidade só é alcançada, quando perseveramos em conhecer, Deus já nos conhece, no íntimo de nosso coração, mas só age naquilo que nós permitimos, naquilo que nós entregamos a Ele.


Se diligentemente procurarmos pela presença de Deus, Ele revelará a nós os seus segredos, anunciará tudo o que antes se fazia oculto (Jeremias 33:3), e herdaremos as promessas.




Graça e Paz!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Cuspidores de pedras...

Glenda Barros





Hoje não farei nenhuma citação bíblica, quero apenas trocar uma idéia, bater um papo santo, não sei se serão aceitas as minhas palavras, mas quero planta-las pois a partir dessa semente, o arrependimento germinará...


A gente tem uma mania de achar que é dono da verdade. Há pouco tempo, uma frieza descomunal abateu o meu espírito, e ao invés de reparar em meus erros e defeitos, achei mais cômodo canalizar meus olhares na lepra dos outros.


Normalmente é o que todo mundo faz, é do instinto humano desviar-se de si mesmo apontando para outras direções. Na verdade olhando pra lepra do próximo a sensação de alívio é instantânea, esquecemos de nossa própria ferida e nos sentimos “melhor”, menos doentes.


O cheiro podre que a gente sente vem da nossa própria carne, que fede as narinas de Deus, só que é mais confortável atirar a pedra do que correr o risco de ser chamado de pecador, é mais fácil reparar no erro do outro do que perceber que não somos santos.


O que falta em nós é a compreensão, de que Deus só perdoa e purifica os pecados daqueles que se arrependem e renunciam a prática do mesmo, não adianta absolutamente nada descriminar milimetricamente o pecado de nosso irmão, pois isso não trará remissão e pureza para alma dele.


Pelo contrário, ser um crítico de pecados, só nos tornará experts em distinguir e perceber a presença do mesmo nos outros, nos tornando autossuficientes e cheios de razão, ainda que saibamos que de razão o inferno tá cheio...


Apontar para o pecado não nos livrará dele. Cristo ordena, seja luz, seja sal, em outras palavras, iluminem, contagiem, disseminem o amor de Deus na vida das pessoas. Uma coisa é certa, não se atira pedras em árvore sem frutos, se a tua boca tem cuspido pedras de julgamento fique atento, a sua raiz pode estar podre e seus frutos, se ainda restarem alguns, estão condenados a perecer juntamente com você.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Que amor é esse?

Kelly Queiroz
Este texto não nos fala somente do amor de Deus por nós, este, nós não podemos entender ou explicar, não podemos medir. Não podemos comparar, só sabemos que é um amor imerecido e incondicional. Esta palavra além de mencionar o amor de Deus por nós, fala principalmente sobre o nosso amor por Deus. Que amor é este que você oferece ao seu Deus? Quando fala a Ele que o ama, em oração ou quando canta, como é realmente este amor?E como realmente ele deveria ser?

Este texto tem algumas frases muito conhecidas que nós gostamos de recitar, quase são bordões evangélicos. São elas:
..."Se Deus é por nós quem será contra nós"...
..."Quem nos separará do amor de Cristo?"...
..."Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores"...
Lidas assim nos dão uma idéia de que nós somos protegidos e poupados por Deus de qualquer mal ou dificuldade, por causa do amor de Deus por nós.
Mas creio que não é sobre isso que o texto nos fala, para entender melhor temos que nos situar no contexto do capítulo 8 de Romanos e ver o que ele nos diz desde o início.
Resumidamente temos por base estes princípios:
·              Nenhuma condenação há para os que estão (permanecem) em Cristo e que não andam segunda a carne (pecado) mas, são guiados pelo Espírito Santo que neles habita.
·              Se vivemos no Espírito, somos filhos de Deus e co-herdeiros, se somos filhos somos participantes não só da glória mas das mesmas aflições, padecendo também com ele na esperança da salvação eterna.
·              Tendo o Espírito Santo como fortaleza em nossas fraquezas (falhas morais), sabendo que "todas as coisas" (boas e ruins) contribuem para o bem daqueles que amam a Deus.
Pois bem, tomando estes princípios por base vamos entender o que realmente  cada uma dessas frases nos dizem:
1- ..."Se Deus é por nós quem será contra nós"...
Iniciando no vs 31. Nós diremos a estas coisas. ..."Se Deus é por nós quem será contra nós"... Quem diz isto somos nós, nós que amamos, se amamos teremos esta postura inabalável diante destas coisas (todas as coisas), porque vs 32 se Deus não poupou destas coisas, seu filho, nós também estamos sujeitos a elas?
Vs 32 e 33. Acusação?Condenação? Que importa se formos acusados? Não temeremos nenhuma acusação ou condenação, pois, Cristo nosso intercessor e justificador já nos livrou da maior condenação (inferno). Ele nos justifica por seu sacrifício, então não importa se sofremos estas coisas aqui, continuaremos a amar a Deus.
Nós diremos a estas coisas...

2-..."Quem nos separará do amor de Cristo?"...
A tribulação, a angústica, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, ou a espada?
Não é o que impedirá a Deus de te amar, mas o que impedirá a você de amar a Deus, já que estas coisas podem afetar os homens, podem fazê-los negar a fé, desanimar,enfim, circunstâncias que tendem a esfriar o amor dos homens por Deus, mas não podem afetar a Cristo. O amor dos homens é que é instável, volúvel.
Será que o seu amor por Deus tem um preço?Tem uma condição? Você pode ser acusado, condenado, sofrer tribulações, ser perseguido, passar fome, estar nu (ou a falta de algo material), correr riscos a ponto de ser morto e ainda dizer verdadeiramente; Senhor eu te amo?
Prestem atenção ao vs 37 "Por amor de ti somos entregues a morte todo o dia, fomos reputados como ovelhas para o matadouro"
Este tem que ser o nosso amor, disposto a tudo, conscientes de que tudo em nossas vidas tem um propósito. Senão, que amor é este?

3-..."Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou"...
Mas, mesmo estando nestas situações, somos mais do que vencedores, porque Ele é o motivo, Ele é a razão, vale a pena vencer todas estas coisas.
A lista "destas coisas" até aqui são coisas que nós devemos vencer que cabe a nós não permitir que afetem nosso amor por Deus.
O que vemos adiante é uma lista de coisas que Deus controla:
A morte, a vida, os anjos, principados, potestades,  o presente, ou o futuro, a altura (os céus) ou  a profundidade (inferno) ou alguma outra criatura.
..."nos poderá separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus nosso Senhor".
Porque sei que vencendo aquilo que tentará abalar o meu amor por Cristo, que tudo o mais Deus vencerá por mim, Ele fará a parte dele.
Agora sim se referindo ao amor de Deus por nós, porque esta lista de coisas só o Senhor pode controlar, ou nós em seu nome e pelo seu poder.

Desta forma, vemos estes versículos de uma maneira diferente, nos dando clareza de que o amor de Deus pode nos livrar de males e adversidades, mas, que nosso amor por Ele deve nos levar a permanecer nele mesmo diante "destas coisas", Paulo já entendia esta mensagem quando também escreveu o texto de Fp 4, 11 a 13. "...Posso todas as coisas naquele que me fortalece..."
É o que devemos aprender, a amar a Deus em todo o tempo,em qualquer situação, permanecer no Espírito Santo que nos conduz para as "coisas do espírito", que nos consola nas aflições, sabendo que em tudo Deus tem algo a fazer em nossas vidas e que nosso amor deve sempre nos alegrar em Cristo. Amar incondicionalmente e em obediência nos fará dizer a "estas coisas";
..."Se Deus é por nós quem será contra nós"...
..."Quem nos separará do amor de Cristo?"...
..."Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores"...
Que a partir de hoje você possa avaliar o seu amor por Cristo!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Morte em Vida




Carlen Alves
A palavra morte, na língua portuguesa, não tem qualquer especificidade. Aplica-se a mesma característica em muitas outras línguas, tal qual a italiana em que a palavra morte indica "um fato natural como todos os outros e não tem, para o homem, um significado específico". Morte e fim são palavras sinônimas e ambas pedem um complemento nominal. A Morte é sempre a morte de algo.

Pois bem, quero aqui falar um pouco da morte do Cristão, porém, uma morte da qual ele não está debaixo da terra. Mas porque falar de morte? Você deve estar pensando; tantos assuntos e temas interessantes para falar e pregar, porque este?

Outro dia fui convidada pela minha querida amiga Kelly (Se é que posso lhe chamar assim kkk) a escrever um texto para este blog, claro fiquei muito honrada, afinal é um blog especial, ao mesmo tempo bateu aquela responsabilidade. Comecei a pensar em um tema, o que escreveria? Pois bem, orando e buscando veio a mente esse tema: MORTE.


Pensei poxa vida, mas falar de morte Senhor? Tão forte essa palavra, tão triste, afinal, quando se fala em morte pensamos logo naquele ente querido que já se foi. Porém, não é dessa morte que quero falar, mas sim da morte dos Cristãos em vida, daquilo que está acontecendo dentro das igrejas e do meio cristão.

Caro leitor, estamos vivendo dias difíceis, nos telejornais só se fala em pedofilia, abuso sexual, assassinatos, roubos, filho contra pai, pai contra filho e por aí vai, no entanto, tenho visto que muitos de nós têm ficado apáticos diante dessa situação, passamos a viver de casa pro trabalho, do trabalho pra igreja e assim seguem os dias, meses e anos.

Nos finais de semana há sempre um acontecimento diferente em nossas igrejas, um pregador de fora, um cantor, e assim vai... E com isso amados, estamos caminhando pra morte, pois, estamos nos restringindo a somente receber, saciar nossa própria sede e fome da palavra, e quando paramos para discuti-la, na grande maioria das vezes estamos rodeados de cristãos, pessoas que já receberam Jesus como seu Senhor e salvador, daí eu pergunto onde está o evangelizar?

Onde está o IDE do Senhor Jesus? Até quando vamos continuar assim, até quando ficaremos apáticos diante de tantos acontecimentos? Cadê aquele fogo do primeiro amor? Cadê aquela vontade de ir pra rua, bater de porta em porta, gritar aos quatro cantos que DEUS É BOM, que Ele salva, que Ele cura, restaura, RESSUSCITA!!!

Ao sentar em frente ao pc e começar a escrever, olhei pra minha vida amados e me senti morta diante do Senhor, você deve está ai pensando nossa como a Carlen está sendo dramática neste texto, mas não queridos, estou apenas falando a verdade na qual muitas vezes temos medo de encarar, e ao escrever tudo isso, sinto o peso da minha responsabilidade como serva, sabe porquê? Porque estou inclusa nesse montueiro de mortos que se encontram dentro da igreja, daí você me diz: mas você é uma serva do Senhor, você está dentro da Igreja servindo, buscando a Deus, aì meus amados eu te digo: Não basta! O Senhor nos diz pra levar a sua palavra, pregar o evangelho, levar as boas novas, por todo lugar. Fé, Adoração, Louvor, tudo isso sem o Ide do Senhor de nada adianta, é preciso viver em Cristo, literalmente viver em e com Cristo, devemos ser crentes por completo, fazer a obra e fazer direito.


O Espírito Santo é quem convence as pessoas do pecado, fazendo-as sentir a necessidade de ser salvas, e revelando-lhes a Pessoa de Cristo, o Salvador, e se temos o Espírito Santo ao nosso lado pra quê temer, porque não obedecer? Porque não pregar? Queridos, RESSUSCITEM! Vamos nos deixar ser usados na palavra de Deus, vamos obedecer o IDE do Senhor, arregaçar as mangas e agir, deixar de ser crentes mortos e VIVER EM CRISTO E PARA CRISTO obedecendo a sua palavra.


O apóstolo Paulo escreveu:


"Ora, eu vos lembro, irmãos, o evangelho que já vos anunciei; o qual também recebestes, e no qual perseverais, (…) Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras" I Coríntios 15:1,3-4


Portanto, amados vamos levar esse evangelho que temos aprendido e que tem nos alimentado diariamente a estas pessoas que perecem, ao invés de ficarmos parados, assistindo tanta coisa ruim acontecer. Vamos ser verdadeiros discípulos do Senhor e discípulos VIVOS!

Nele que ouvirá o nosso clamor:


Senhor daí-me filhos senão morro! Gn 30:1


segunda-feira, 27 de junho de 2011

Eu e minha boca GRANDEEEEE

Glenda Barros


Põe, ó SENHOR, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios. Salmos 141:3 


Eu tenho uma saúde na minha lingua, quem conhece sabe como é. Já elogiei barriga de mulher que nem pensava em ter filhos (basico), pedi benção pra primo, já dei bom dia a cavalo e a égua ficou com ciúmes...

Falar é uma benção, uma dádiva, essa capacidade foi dada somente a nós, bípedes pensantes, filhos de Deus. Mas como é normal da racionalidade humana, a gente esquece do valor que essa habilidade tem.
A nossa boca deve pronunciar somente palavras que edifiquem a nossa vida e a vida de nossos irmãos (Efésios 4:29), mas constantemente amaldiçoamos, praguejamos e murmuramos contra Deus.

Como é difícil controlar a língua, parece que ela tem vida própria, não é atoa que Davi pediu logo uma guarda pra segurar a dita cuja, as palavras conseguem passar pelas frestas, pelos cantos da boca, são traiçoeiras; se não for vedada a tempo, a boca contribui para o pronunciar de palavras aniquiladoras.

A boca não é algo que se pode controlar sozinho, pois nossas forças são limitadas diante dela, como Davi clamou ao Senhor por guardas às portas de sua boca, nós também devemos clamar.

Quando as palavras são monitoradas e selecionadas pelo Espírito Santo, o número de danos e lesões causadas a outrem, pelas mesmas, diminui em larga escada, o nosso caráter é modificado e reparado, e a visão que terão de nós será a visão do Criador.

Palavras têm um poder que, de maneira alguma, pode ser menosprezado, e sim, seriamente considerado, agindo em conformidade com as escrituras não se corre o risco de falar asneira; ao contrario, as palavras e todo o mecanismo utilizado para liberá-las serão arma forte na cura e ganho de almas para Cristo...


Pois, a boca do justo é fonte de vida (
Provérbios 10:11)

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Deus e o abacateiro


Kelly Queiroz

Havia no meu quintal um abacateiro que produzia pouquíssimos frutos. Ancioso e por acreditar que uma árvore frutífera precisa ser bem produtiva, pedi a Deus que abençoasse aquele abacateiro permitindo-lhe frutificar bastante, de maneira realmente abundante.

A florada aconteceu e o abacateiro se encheu de centenas de frutinhos. Quando eles já estavam grandes, para surpresa minha, o galho central, com mais de 60 abacates, quebrou. Um outro galho também, por não suportar o peso, acabou caindo, levando tantos outros frutos. Fiquei perplexo! Deus havia permitido que o abacateiro ficasse recheado de frutos e logo depois quebrasse, sem que eu os aproveitasse. Por quê?

A resposta veio logo. Nem sempre temos estrutura para suportar o tamanho da bênção que pedimos a Deus. Por isso, muitas vezes precisamos esperar algum tempo para recebê-la.
Ela só virá quando nossa vida estiver profundamente enraizada no terreno fértil da fé em Jesus Cristo , enrrijecida pela leitura constante da Palavra de Deus, fortalecida pela seiva da
oração e produzindo os frutos abundantes da presença de Deus em nós. Assim , na certeza de que a glória não é nossa, mas do Senhor Jesus, não sucumbiremos ao volume da bênção.

"O tempo está a favor daqueles que esperam em Deus." Autor desconhecido.

domingo, 29 de maio de 2011

Cara Crachááááááááá...

Glenda Barros

            Outro dia recebi um elogio sensacional. Estava eu num salão de beleza, sentadinha, quietinha, olhando para o chão, quando um fulano (é, eu me esqueci de perguntar o nome!) me lançou a seguinte questão: Ei, tu é crente? Eu respondi em alto e bom tom: Sim, graças a Deus!
            E, curiosa, indaguei o porquê da pergunta; e ele disse: Porque tu tem CARA DE CRENTE!
Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus. Mateus 5:v48
            Em Eclesiastes 7: v20 diz que não há homem sobre a terra que seja justo, que faça o bem e que nunca peque, sim, isso é um fato, pois não há Santo como nosso Deus. Porém, o próprio Cristo nos exorta a sermos perfeitos, como perfeito é o nosso Deus, pois sem santidade ninguém verá ao Senhor Hb. 12: v14.  
            Nós temos que ter a cara de Cristo!      E, meus amados, nossas atitudes dizem tanto quanto a nossa carinha de santo! Quando seguimos uma vida segundo a vontade de Deus, o evangelho de Cristo fica estampado na nossa cara e empregnado em nossas atitudes.
            O fato é que a galera só veste a roupa de crente no domingo à noite, específicamente pra ir à igreja. O que define você como um cristão verdadeiro é a postura que você tem quando ninguém está te olhando. Quem realmente pode confirmar sua santidade são as pessoas que convivem diariamente com você.
            O que você tem ouvido de seus familiares, amigos, conhecidos? O que suas atitudes têm demonstrado às pessoas que te rodeiam? Você só é cristão no domingo à noite?
            Saiba que o seu testemunho é arma forte na evangelização daqueles que ainda não conhecem a Deus, e Ele precisa que “em todo o tempo sejam alvas as tuas vestes Ec. 9: v8” para que as características de Cristo sejam desenhadas em você.
            Viver para Cristo exige que esse seu ‘EU’ saia do centro da sua vida, e siga para cruz, para que Cristo possa reinar plenamente no seu coração.
            Assim, você permite que Cristo Jesus aperfeiçoe, diariamente, a BOA OBRA que Ele começou no momento em que você levantou as mãos e disse: JESUS, EU TE ENTREGO A MINHA VIDA!
Quero ser filha, do tipo que é a cara do Pai!!!

Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

União Homoafetiva

Vamos analisar sob a ótica analítica do fato. Em primeiro lugar a Decisão do STF.  Quem se lembra da polêmica votação da FICHA LIMPA? Pois é, a sociedade ficou revoltada, por todos os lados haviam comentários; nas universidades, nas escolas, nas filas de bancos, dentro dos transportes coletivos, e em todos os lugares era assim. Revolta de meia-boca, pois, a responsabilidade não é do STF. A responsabilidade é do Congresso (eleitos por nós) que legisla sem deixar tudo bem esclarecido, aí cai no STF, que tem a missão de julgar o artigo que fora apresentado e votado no Congresso, sob o aspecto do Direito e da Constitucionalidade. Bem, a Ficha Suja está ai e os fichas sujas também, agora fazendo parte do congresso novamente. E mais uma vez ficamos ‘’papeando’’ nos corredores e não fazemos nada! Novamente, em meio a polêmica, veio a votação sobre os direitos dos homossexuais brasileiros. Gente pensa bem; o que muda na nossa sociedade essa lei? Nada! Essa lei não aumenta o nÚmero de gays! A propósito, o que faz crescer a população homossexual? Temos que pensar nisso, visto que sendo pecado aos olhos de Deus, não tem agravante estar de ‘’papel passado’’ ou não. O que vai acontecer é que o Direito vai ganhar com isso. Imaginem só a quantidade de processos que surgirão. Serão processos de união, aquisições, vendas, separações, divórcios, ou qualquer outro nome que venham a dar para essa rescisão contratual. Os advogados agradecem, pois quanto mais complexo nosso sistema judiciário, mais causas para defesa e negócios rentável. Não defendendo o STF, até mesmo porque não precisam, mas responsabilizá-los pela votação contrária a nossa vontade já é demais!
Em segundo lugar, a Mudança na Sociedade. A sociedade vem mudando há muito tempo e só agora é que nos damos conta de que a coisa é séria. Os integrantes / militantes dos direitos dos homossexuais estão vibrando com o resultado e postando textos em todos os sites e blogs possíveis.
Em minha opinião, isso não muda nada pra eles, muito pelo contrário. Agora terão que fazer plano de saúde juntos, senão vai dar briga; terão que ter conta conjunta no banco, senão vai dar briga; terão que fazer declaração de imposto de renda juntos, senão o leão pega; então, tudo isso será de feito de forma que a sociedade se ajustará para aceitar, mas os papéis assinados trarão obrigações conjuntas antes não previstas nas leis. O SUS agradece, pois a expectativa é de que os dependentes dos titulares homossexuais dos planos de saúde aumentem. O que precisamos, como Cristãos é encarar a mudança na sociedade como fato e arregaçar as mangas para lutar contra o pecado em favor da conversão e salvação dos pecadores.
Em terceiro lugar e mais importante, está o posicionamento da Igreja. Agora vem a melhor parte e a que realmente interessa.
Como eu disse antes, para DEUS os homossexuais estarem com o ‘’papel passado’’ no bolso não muda em nada, pois DEUS criou o homem e a mulher para constituirem família e quando isso é mudado, DEUS não se agrada, vejam o texto: Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação (Levitico 20.13a)”. A concepção de família é de perpetualidade da espécie humana, de geração em geração e não há perpetualidade em um relacionamento homossexual.
É por isso que DEUS fez o que fez. Senão, não haveria nenhum ser humano na Terra, pois nasceriam como? Mas o que realmente interessa é que Deus não está se importando, com o papel assinado. O que Deus quer, e a Bíblia nos assegura é que não exista a relação homossexual! Aí  vem uma pergunta: Se Deus não quer isso e se Deus quer que façamos a sua vontade, então porque não somos pregadores do seu Evangelho para voltarmos às raízes da família com homem e mulher?
O que você está fazendo quando se depara com um homossexual em sua frente?  Fala: “JESUS te ama, a vida na nessa Terra vai passar e viveremos a Eternidade com Cristo. É necessária a conversão. ELE te ajudará no que for preciso para mudar o seu caminho, você passará por muitas dificuldades e sofrimentos, mas a coroa lhe será entregue no final. Você pode ter a certeza da Vitória e da Salvação”.
Ou ao invés de tudo isso, você não fala nada e desvia o olhar e a trajetória?
Jesus disse: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura (Marcos 16:15).
Essa criatura, homem ou mulher homossexual, não merece receber a pregação do Evangelho? Ou você acha que não é sua obrigação? Você acha que sua obrigação é ‘’achar um absurdo’’ o que o STF fez com a sociedade brasileira? Um conselho: Está na hora de rever suas obrigações como seguidor de Jesus. É claro que a indignação sobre o assunto é no mínimo considerável mediante os valores que temos como cristãos, mas indignação e braços cruzados não mudam nem o presente, nem o futuro, nosso nem dos que caminham a passos largos para o inferno.
Que Deus tenha misericórdia de todos nós.
Naquele em que buscamos o aperfeiçoamento para a boa obra.


                Wendell Lemes

terça-feira, 10 de maio de 2011

De braços cruzados!!!

Glenda Barros

            Outro dia me fiz uma pergunta muito honesta, e, infelizmente, a resposta que veio à indagação não me plantou um sorriso no rosto. Senti-me um lixo, uma cristã estagnada pela força da acomodação.
            O que tenho feito para cumprir a missão, que Cristo me confiou em Marcos 16: v15? (Ide por todo o mundo, PREGAI o evangelho a toda criatura).
            A missão cristã no mundo é ANUNCIAR o evangelho, mas camuflamos nosso comodismo, nos dizendo incapazes de confirmar aquilo que estamos pregando.
            Em Marcos 16: v20 diz, que após a ordem de Jesus, os discípulos partiram, pregando o evangelho em toda parte, e com eles, Deus ia COOPERANDO e CONFIRMANDO a palavra por meio de sinais, que se seguiam.
            Depois de ler esse versiculo, minha desculpinha esfarrapada caiu por terra, e minha cara ficou ainda mais vermelha de vergonha. Não é nosso papel confirmar a palavra, e sim anuncia-la a todos.
            Estamos com os olhos fitos no céu, esperando ver Jesus por entre as nuvens (Atos 1: v10-11), de braços cruzados aguardando a volta do Messias.
            ANUNCIAR exige de nós a movimentação de alguns músculos faciais e uma boa dose de boa vontade, mais nada. Mas é incrível como a gente se contenta em apenas receber ...
            A vergonha me constrageu, me levou a rever meus conceitos cristãos. Ser chamado filho de Deus é um privilégio, que mantemos conosco egoísticamente, não anunciando o amor de Deus.
            Tratamos a ordem com negligência, trocamos a posição das coisas. Buscamos primeiro satisfazer nossas vontades e sonhos, depois nos empenhamos na busca do reino de Deus, ou nem isso.
            Espero que esse alerta destrave seu maxilar, e que a missão de Cristo seja tratada como prioridade e não como um item secundário em sua vida...

JESUS CRISTO MUDOU MEU VIVER!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

MÃE SEM LIMITES!!!


Kelly Queiroz.


MT 15: 22 – 28. “E eis que uma mulher cananéia, que saíra daquelas cercanias, clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada.
Mas ele não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, chegando ao pé dele, rogaram-lhe, dizendo: Despede-a, que vem gritando atrás de nós.
E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.
Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me!
Ele, porém, respondendo, disse: Não é bom pegar no pão dos filhos e deitá-lo aos cachorrinhos.
E ela disse: Sim, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.
Então respondeu Jesus, e disse-lhe: O mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.”

Está é a minha mãe preferida nas escrituras, eu tenho por ela um carinho especial, um respeito evidenciado. Porque esta mãe ultrapassa todos os limites, os da sociedade e os seus próprios, em favor de sua filha.
Talvez você tenha deixado de dar a devida importância a este detalhe, esta mulher, conhecida como exemplo de humildade, de persistência, teve SUA FILHA como motivação, o desejo de vê-la liberta, como prioridade. Imagino que já tivesse tentado de tudo, e se desespera, corre e grita atrás de Jesus, determinada a agarrar-se na esperança do milagre.
_Senhor socorre-me!
Porque dor de filho é dor de mãe. Posso até arriscar a dizer, que ela sofre mais.
Muitas mães já repetiram a frase: Se eu pudesse estaria em seu lugar!
A minha já disse e eu não duvido.
_Mande-a embora, está nos incomodando!
_Sim Senhor, não me importo de ser como um cachorrinho, mas mesmo estes merecem cuidados, eu preciso de socorro para a minha filha!
Mãe por seus filhos incomoda, se humilha, dá a vida.
Esta mãe foi humilde e foi nobre, tem até hoje a compreensão e a cumplicidade de todas as mães do mundo.
Ainda não sou mãe, e acredito que como todas dizem unanimemente, eu só terei a medida deste amor que não se mede, quando também tiver um filho.
Ainda terei, mas tenho filhos espirituais somente, almas pelas quais eu orei, oro, preguei, aconselhei, sorri, chorei, e amo, amo muito.
Assim como as outras mães, eu gostaria de curar com um abraço, gostaria de protegê-los de tudo, da dor, do sofrimento, das decepções, dos erros, do pecado. E quando não posso me sinto impotente, por um momento questiono, lamento, mas eu sei que enquanto eu sou impotente, Deus é Onipotente!  Vou até Deus em oração e clamo por eles, com mais urgência do que clamo por mim.
E a minha oração, assim como as orações de todas as mães, move sim, o coração de Deus. E a resposta é:
_ Seja isso feito para contigo como tu desejas!

Senhor, meu Deus e Rei da minha vida, cuida dos meus filhos e filhas, os que tenho e os que virão. Cuida da minha pequena, que passa por dias difíceis, tão longe de mim.
Obrigada pelas duas mães que o Senhor me deu, obrigada por todas as mães do mundo! Cuide, abençoe cada uma delas com a Tua sabedoria.

Feliz dia das mães!

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Declaração de Amor

Glenda Barros

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Romanos 8:28
Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam. 1 Coríntios 2:9

            Esses dois versiculos sempre me chamaram a atenção, sempre os ouvi em ministrações como palavra de esperança, de fé, pois são duas promessas maravilhosas do Senhor para nossas vidas.
            Porém, o Espírito Santo me constrageu a atentar-me para a condição imposta por Deus, para que essas promessas possam se cumprir de fato em nossas vidas. Em ambas, Deus nos exige amor a Ele.
            Parece algo simples e fácil, não é mesmo? Sim, pois declaramos a todo o momento em nossas canções, igrejas, em nossas células que amamos a Deus e ao seu ministério aqui na terra.
            Mas será que realmente amamos a Deus?
            No evangelho de João, no capítulo 14, verso 21, encontramos as características que compoem o carater do homem que ama ao Senhor:
Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.
           
            Então, se eu tenho (se eu sei) a palavra do Senhor no meu coração e a guardo (pratico) eu tenho por Deus amor, logo as promessas dEle se cumprirão na minha vida com legalidade.
            Começou a complicar, não é mesmo?
            Na bíblia que eu leio está escrito que devemos amar aos nossos inimigos e orar por aqueles que nos perseguem (Mt 5: v44), também está escrito que eu devo honrar a meu pai e minha mãe para que meus dias se prologuem (Mt 15: v4), certeza que também está escrito que não devemos julgar aos nossos irmãos (Mt 7: v1), mas sim amo-los, como amamos a nós mesmos (Jo 13: v34).
            Também recordo de já ter lido que temos que buscar primeiro o reino de Deus e a sua justiça (Mt 6: v33), fazer tudo para glória de Deus e não por vangloria (Fl 2: v3) e buscar a santidade, pois sem a qual ninguém verá a Deus (Hb 12: v14).
            Depois de tantas recordações eu torno a repetir a pergunta:
Será que realmente amamos a Deus?
O que tenho notado em nossos cultos são manifestações de amor a Deus somente da boca para fora, não existe amor à palavra de Deus, nem tão pouco, cuidado em cumprir os mandamentos e preceitos do Rei Jesus.
O que se percebe são pessoas interessadas nas bençãos e promessas e nem um pouco motivadas em cumprir o propósito de Deus. Será que estamos sendo reconhecidos como pessoas “segundo o propósito de Deus”? Ou só estamos preocupados com tudo que coopera para o nosso bem?
Deus tem bençãos para seus filhos, mas nosso amor por Ele tem que estar acima de toda e qualquer coisa. Que Deus possa tocar em seu coração, como tocou em mim, analise-se a si mesmo e começe a agir conforme a vontade Dele, e Ele concederá os desejos do teu coração.
Deleita-te também no SENHOR, e te concederá os desejos do teu coração. Salmos 37:4